III SEMINÁRIO INTERNACIONAL

DEMOCRACIA, DIREITO E TRABALHO:
IMPLOSÃO SEM DINAMITE

 
 
 
 

III SEMINÁRIO INTERNACIONAL

DEMOCRACIA, DIREITO E TRABALHO:
IMPLOSÃO SEM DINAMITE

 
 

Pelo terceiro ano consecutivo, o Instituto Lavoro realizou seu Seminário Internacional, cumprindo o objetivo de discutir os desafios das relações de trabalho pelo mundo. A edição 2018, com o tema “Democracia, Direito e Trabalho: Implosão sem dinamite”, ocorreu dias 22 e 23 de novembro, em São Paulo e teve inscrições esgotadas – com transmissão da Fundação Perseu Abramo.

Inspirado na obra de Nicolau Sevcenko e sua metáfora do loop da montanha-russa, cuja reflexão está vinculada ao marco histórico nacional e internacional e ao compromisso de restabelecer a centralidade da dignidade das pessoas o III Seminário teve início na quintafeira, dia 22/11, com a palestra “Democracia e Trabalho”.

A mesa contou com a presença da Professora Silvana de Souza Ramos (Professora Doutora em Filosofia na Universidade de São Paulo), do Juiz do Trabalho Carlos Eduardo de Oliveira Dias e do Procurador-Geral do Trabalho, Ronaldo Curado Fleury. A mediação da mesa ficou com o Presidente do Lavoro, José Eymard Loguercio, e com a advogada Jane Salvador Gizzi, do Instituto Declatra.

"Pelo terceiro ano realizamos um seminário com o objetivo de provocar o debate sobre o que se passa no mundo do trabalho e, neste ano, também nas questões sobre democracia, que não se desvinculam. Só há condição de democracia quando se preservam direitos sociais, o que pressupõe criar a possibilidade de exercícios de direitos ", resumiu Loguercio.

Segundo dia

A palestra “O futuro do trabalho que queremos”, contou com a presença do economista Marcio Pochmann (Professor da Universidade Estadual de Campinas); do Catedrático de Direito do Trabalho e da Seguridade Social Hugo Barretto Ghione (Professor de Pós-Graduação em Teoria do Direito do Trabalho na Faculdade de Direito de la Universidad de la República, Uruguai); e do sociólogo Ruy Braga (Professor do Departamento de Sociologia da USP e ex-diretor do Centro de Estudos dos Direitos da Cidadania da USP).

A mediação foi realizada pelo advogado Eusebio de Oliveira Carvalho Filho (sócio do Melo e Isaac Advogados) e pela advogada Daniela Costa Gerelli (Instituto Lavoro e LBS Advogados).

A mesa 3 do Seminário Internacional do Instituto Lavoro teve o “Transnacionais e negociação coletiva” e trouxe as palestras de Adoración Guamán, Professora de Direito do Trabalho e da Seguridade Social da Universidade de Valência, Espanha, e de Roberto Fragale, Juiz do Trabalho e Professor de Sociologia Jurídica da Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense.

“Vivemos uma realidade em mudança, na qual o poder das corporações mudou, mas ainda tentamos combatê-lo com marcos jurídicos de outras épocas, elaborados com outros tipos de relação de produção. Então, hoje, o desafio é pensar diferente em uma realidade que afronta direitos humanos e trabalhistas, na qual as transacionais são atores fora de controle”, destacou Adoración.

A mediação da mesa foi realizada pela advogada Fernanda Caldas Giorgio (LBS Advogados e Instituto Lavoro) e pelo advogado Antônio Vicente Martins (AVM Advogados).

O encerramento ficou com a mesa 4 “Constituições democráticas como resistência” que trouxe as falas de Joaquín Pérez Rey (Professor de Direito do Trabalho e da Seguridade Social da Universidad de Castilla-La Mancha, Espanha); de Pedro Serrano (Professor de Direito Constitucional e Fundamentos de direito Público da Faculdade de Direito da PUC/SP) e de Eloísa Machado de Almeida (Professora de Direito Constitucional e Direitos Fundamentais da FGV Direito SP). A mediação foi realizada pela advogada Laís Lima Carrano e do advogado José Eymard Loguercio.

 
 
 
 
 
 

Reveja aqui a galeria de fotos:

 
 
 
 
 
 

Vídeos:

 
 
 
Mesa 1
Mesa 2 e 3
Mesa 4 - Encerramento
Mesa de encerramento - parte 2
 
Adoración Guamán
Carlos Eduardo de Oliveira Dias
Marcio Pochmann
Pedro Serrano
 
Hugo Barretto Ghione
Joaquín Pérez Rey
Ruy Braga
 
 
© 2014 REEN.
All rights reserved.